simbolo_edited.png

SONAMBULISMO

Atualmente com o aumento progressivo da carga de trabalho, informações e consequente necessidade de ficarmos ou possibilidade de podermos ficar acordados por mais tempo temos dormido um número menor de horas do que o recomendado.

 

Para algumas pessoas dormir significa perder tempo e por este motivo muitos estudos têm sido realizados atualmente e provam que quem dorme menos do que o necessário tem menor vigor físico, envelhece precocemente, está mais propenso a infecções, à obesidade, à hipertensão e ao diabetes. Considera-se como um número mínimo 5 horas de sono, abaixo disso a incidência das doenças citadas aumenta em níveis alarmantes.

O número excessivo de horas de sono (acima de dez horas), salvo raras exceções, indica uma qualidade inferior do sono. Então se o rendimento de uma noite de sono está prejudicado por algum problema, isto é, tenho uma qualidade de sono ruim, a primeira forma de compensação do organismo é aumentar a quantidade de horas de sono.

COMO ACONTECE O SONAMBULISMO 

O sono tem cinco estágios durante os quais as ondas cerebrais diminuem de intensidade até atingir um profundo estado de relaxamento. A baixa atividade se mantém no hipotálamo, região do cérebro ligado à consciência, e no córtex cerebral, que controla os movimentos do corpo.

No caso dos sonâmbulos, essas ondas vindas de uma área do cérebro chamada ponte são irregulares. Por isso não cumprem a função de inibir a região motora (responsável pelos movimentos do corpo).

Como as áreas motoras permanecem ativas, o sonâmbulo é capaz de se sentar, andar e trocar a roupa. Já a área relacionada à consciência, no hipotálamo, se mantém quase inativa. E isso explica porque quem sofre desse distúrbio não percebe o que faz nem se lembra de nada no dia seguinte, embora algumas vezes podendo se manifestar como por exemplo: ir pagar uma conta em caixa eletrônico ou escrever uma carta devido a uma grande preocupação.

INCIDÊNCIA

Dentre as crianças entre 5 e 12 anos de idade, estima-se que 15 a 40% tenham apresentado algum episódio de sonambulismo, pelo menos uma vez na vida. A maior parte das crianças sonâmbulas deixa de apresentar este comportamento a partir da adolescência. Dentre os adultos, as pesquisas estimam que 0,5 a 2,5% apresentam sonambulismo.

QUAL O TRATAMENTO PARA O SONAMBULISMO

Geralmente não há necessidade de tratamento com medicações mas há necessidade sim de orientações para que seja garantida a segurança da pessoa, como por exemplo colocar redes de proteção nas janelas, trancar a porta do quarto e retirar a chave da fechadura e evitar a presença de objetos pontiagudos no ambiente de dormir.

WhatsApp Image 2022-04-04 at 13.02.11.jpeg